Você conhece as diferenças entre a FIV e inseminação artificial?

Você conhece as diferenças entre a FIV e inseminação artificial?

Não tenho dúvidas de que a fertilização in vitro (FIV) e a inseminação artificial (ou inseminação intrauterina) são as técnicas de reprodução assistida mais representadas em filmes, novelas e reportagens.

Mas, mesmo com toda essa divulgação, é comum que mitos e conceitos equivocados se propaguem entre a população, fazendo com que casais cheguem ao meu consultório sem entender muito bem as diferenças entre FIV e inseminação artificial.

No post de hoje, vou esclarecer as diferenças entre as duas técnicas.

O que é FIV?

fertilização in vitro (FIV) é a técnica de reprodução assistida mais complexa e eficaz atualmente. Ela proporciona o encontro dos gametas em ambiente laboratorial e a transferência dos embriões formados para dentro do útero materno.

Como é feita a FIV?

O primeiro passo da FIV é a coleta dos gametas. Os espermatozoides são obtidos por meio de masturbação ou, caso o sêmen do homem não possua espermatozoides, por meio da punção testicular.

Já os óvulos são sempre obtidos por meio de um procedimento cirúrgico simples após alguns dias de preparação hormonal (estimulação ovariana). Durante o procedimento, os óvulos são coletados com o auxílio de uma agulha, que é colocada na ponta do aparelho de ultrassom.

Após a coleta, ambos os gametas passam por processamento para serem preparados para a fecundação, que pode ser feita de duas formas. Na fertilização clássica, o óvulo é colocado em uma placa de petri e rodeado por espermatozoides. Já na injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI), o espermatozoide pré-selecionado é injetado diretamente dentro do óvulo.

Ocorrida a fecundação, os embriões se desenvolvem em laboratório por alguns dias e então são transferidos para o útero da futura mamãe, que dará continuidade à gravidez.

O que é a inseminação artificial?

inseminação artificial é uma técnica de reprodução assistida que representa um atalho para o espermatozoide. O sêmen é depositado diretamente dentro da cavidade uterina, facilitando o encontro dos gametas.

Como é feita a inseminação artificial?

Como a fecundação ocorre dentro do corpo da mulher, para a inseminação artificial só é necessário realizar a coleta, feita por meio da masturbação, e o preparo do sêmen.

A preparação da mulher para a realização da técnica consiste em um acompanhamento do ciclo menstrual com ultrassons seriados para determinação do período fértil e acompanhamento do desenvolvimento dos folículos durante a estimulação ovariana, que é realizada para aumentar a produção de óvulos.

Quando a mulher está em seu período fértil, o sêmen é introduzido dentro da cavidade uterina com o auxílio de um cateter, o que reduz a distância e os obstáculos a serem percorridos pelos espermatozoides até o óvulo, que fica por um determinado período de tempo em uma das trompas.

A partir daí, a fecundação, a formação do embrião e a progressão da gravidez ocorrem de forma completamente natural.

Quais as diferenças entre a FIV e a inseminação artificial?

A FIV é uma técnica mais cara e que demanda a realização de procedimentos mais complexos, como a coleta de óvulos e o acompanhamento do crescimento embrionário em laboratório. Além disso, o estímulo ovariano para a FIV é feito com o uso de mais hormônios do que na IIU, de maneira a obter-se diversos óvulos para a fertilização em laboratório.

No entanto, a técnica possui uma taxa de sucesso mais alta e consegue gerar a gravidez mesmo em casos de infertilidade mais complicados, quando é necessário usar gametas doados ou útero de substituição.

Já a inseminação artificial é um procedimento mais simples e barato, normalmente sem a necessidade de procedimentos médicos complexos ou invasivos, mas que só gera a gravidez em casos de infertilidade específicos, principalmente quando a mulher é jovem.

Qual técnica é melhor?

Quando se trata de reprodução assistida, tenho confiança para dizer que não existe uma técnica melhor ou pior do que a outra. Cada técnica tem a sua finalidade e a sua indicação e vai ser usada de acordo com as necessidades de cada casal. Por isso, é essencial passar pela avaliação de um profissional capacitado antes de dar início a todo o processo.

Agora que você entendeu as diferenças entre FIV e inseminação artificial, que tal acompanhar outros conteúdos sobre reprodução humana? Siga minha página no Instagram e no Facebook e não perca as próximas postagens!

Especialista em reprodução humana, habilitado e capacitado para atender casais com infertilidade, faz parte das mais importantes sociedades relacionadas a área de Reprodução Assistida como a American Society for Reproductive Medicine, European Society of Human Reproduction and Embriology, Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida e Sociedade Brasileira de Urologia.

Deixe seu comentário

  1. Pingback: 2019

Postagens Relacionadas

See all posts