Afinal, o que é a Infertilidade Sem Causa Aparente?

Infertilidade sem causa aparente (ISCA)

O maior objetivo dos médicos especialistas em reprodução humana, como eu, é o de auxiliar os casais que não conseguem engravidar naturalmente. As falhas nas tentativas de alcançar a gravidez podem ser muito desgastantes para o casal, e suas causas precisam ser investigadas.

Em alguns casos, não é possível encontrar nenhuma causa para este fenômeno. É o que acontece na Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA). No texto de hoje, explicarei mais sobre o assunto. Acompanhe!

O que é a Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA)?

A ISCA é diagnosticada em um casal quando não é possível encontrar nenhuma causa orgânica ou fisiológica que justifique a dificuldade para engravidar. Isto significa que, após a realização de todos os exames laboratoriais e de imagem, o médico não encontra uma causa para a infertilidade.

A não conclusão do diagnóstico da causa da infertilidade, segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), atinge cerca de 10 a 15% dos casais que procuram a clínica de reprodução assistida.

Como identificar a ISCA?

É preciso uma investigação criteriosa antes de se definir o diagnóstico de ISCA. Sempre me certifico de que todos os exames foram realizados de forma correta e com a qualidade necessária, e peço para serem repetidos quando há dúvida em qualquer resultado.

Algumas questões precisam ser levadas em consideração, como:

  • ovulação da mulher;
  • idade da mulher;
  • frequências das relações sexuais durante o período ovulatório;
  • presença de endometriose ou adenomiose;
  • qualidade do sêmen do homem.

A FEBRASGO estabelece alguns critérios mínimos para que a infertilidade seja rotulada como sem causa aparente, que incluem:

  1. comprovação de ciclo ovulatório normal da mulher;
  2. documentação de parâmetros normais do sêmen;
  3. comprovação de normalidade uterina e de trompas por diferentes exames de imagem (ultrassonografia, video-histerioscopia, histerossalpingografia).

Como é feito o tratamento?

A falta de respostas claras para a infertilidade não significa a falta de tratamentos para esta condição. Os tratamentos que indico para a ISCA são escolhidos de acordo com as características específicas do casal: idade da mulher e do homem, tempo de infertilidade, disposição financeira do casal.

Casais jovens, com menos de 30 anos, muitas vezes podem se beneficiar de uma conduta expectante. Isto significa realizar acompanhamento por 1 ou 2 anos, com uma revisão de hábitos (alimentação balanceada, melhoria da qualidade de vida, diminuição do estresse).

Nos outros casos, utilizo esses diferentes tratamentos, de acordo com as especificidades do casal:

  • indução da ovulação por medicamentos administrados por via oral ou através de injeções subcutâneas;
  • inseminação intrauterina com esperma preparado em laboratório e inserido diretamente no útero;
  • fertilização in vitro, com a fertilização dos óvulos da paciente em laboratório.

O acompanhamento com especialista em reprodução humana e as técnicas de reprodução assistida permitem que os casais com dificuldade para engravidar tenham mais chances, mesmo que as causas da infertilidade não possam ser identificadas. Por isso, não deixo que minhas pacientes se desanimem com este diagnóstico.

E aí, você gostou de saber o que é a Infertilidade Sem Causa Aparente? Tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Então deixe um comentário no post!

Especialista em reprodução humana, habilitado e capacitado para atender casais com infertilidade, faz parte das mais importantes sociedades relacionadas a área de Reprodução Assistida como a American Society for Reproductive Medicine, European Society of Human Reproduction and Embriology, Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida e Sociedade Brasileira de Urologia.

Deixe seu comentário

Postagens Relacionadas

See all posts