3 dicas para diminuir a perda da fertilidade feminina

3 dicas para diminuir a perda da fertilidade feminina

Um dos maiores medos das mulheres que têm o desejo de ter filhos — e que sempre observo entre as minhas pacientes — é o de não conseguir engravidar. Antes de se preocupar com a tão temida infertilidade, que causa dúvidas e anseios em casais pelo mundo todo, saiba que é possível investir na sua fertilidade.

Existem diversas formas de preservar a fertilidade feminina — por meio de hábitos e atitudes simples e fáceis de serem aplicadas no dia a dia. Por isso, neste post trago algumas dicas incríveis para você. Acompanhe!

Evite o tabaco e o álcool

O cigarro contém mais de 4 mil substâncias com agentes irritantes, oxidantes, tóxicos e carcinogênicos. As mulheres em idade reprodutiva que fazem seu uso diminuem sua chance de engravidar, pois ele é considerado uma “toxina reprodutiva”, que atrapalha a produção dos gametas femininos (óvulos).

Sempre indico que minhas pacientes evitem o fumo, pois ele:

  • dificulta a produção do hormônio sexual feminino (estrógeno);
  • favorece a formação de óvulos com problemas genéticos;
  • diminui a velocidade do encontro dos gametas no útero (concepção);
  • antecipa o momento da menopausa;
  • aumenta o risco de aborto espontâneo.

O consumo elevado de álcool também interfere nas chances de engravidar, pois desregula o ciclo menstrual, interfere no funcionamento dos ovários e também aumenta a chance de abortos espontâneos.

Tenha uma vida sexual saudável

A manutenção de uma vida sexual saudável diminui consideravelmente os riscos de complicações para a saúde feminina. O sexo seguro protege a mulher de comprometimentos da função reprodutiva, por isso é essencial para a preservação da fertilidade feminina.

As doenças sexualmente transmitidas (DSTs) são responsáveis por provocar abortos espontâneos, causar disfunções sexuais e até infertilidade.

As principais são: HIV, herpes, gonorreia, hepatite B, HPV e sífilis.

Essas doenças podem causar alterações como:

  • inflamação dos ovários e do útero;
  • alterações na camada interna do útero;
  • mais chance de gravidez ectópica (fora do útero).

Por isso, insisto em falar sobre a importância da utilização de camisinha quando não se tem a intenção de engravidar e da ida frequente ao médico para a realização de exames de rotina.

Controle seu peso

As alterações no peso podem causar sérios prejuízos hormonais, de forma que interferem na manutenção da fertilidade. O peso abaixo do recomendado, o sobrepeso e a obesidade interferem na formação do hormônio sexual na mulher, o estrógeno. A minha recomendação é que se mantenha o Índice de Massa Corporal (IMC) entre 19kg/m² e 25kg/m².

O descontrole do peso pode levar a consequências como:

  • inibição da ovulação e da menstruação;
  • distúrbios hormonais com desregulação do ciclo menstrual;
  • interferência nos processos de fertilização e implantação;
  • bloqueio da ovulação.

Além disso, as alterações no peso podem causar desordens psicológicas e interferir na autoestima e na libido da mulher, fatores essenciais para a relação sexual.

Essas dicas são um guia para preservar a fertilidade feminina. Cuidar do próprio corpo e prevenir complicações na função reprodutiva são os primeiros passos para as mulheres que desejam engravidar.

Gostou de saber mais sobre a fertilidade feminina e quer aprender mais sobre o assunto? Então veja aqui as 5 principais causas que dificultam a gravidez!

Especialista em reprodução humana, habilitado e capacitado para atender casais com infertilidade, faz parte das mais importantes sociedades relacionadas a área de Reprodução Assistida como a American Society for Reproductive Medicine, European Society of Human Reproduction and Embriology, Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida e Sociedade Brasileira de Urologia.

Deixe seu comentário

Postagens Relacionadas

See all posts